HOME       ARTISTA      OBRAS      EXPOSIÇÕES/ NOTÍCIAS      ESTÚDIO/LIFE      VÍDEOS   CONTACTO

"Martinho Dias, nasceu em 1968, em Sto. Tirso. Reside atualmente na Trofa, onde tem atelier.

É mestre em Artes Plásticas – Pintura, pela Faculdade de Belas Artes do Porto.

 

Não é possível ficar indiferente à pintura de Martinho Dias. Ela capta-nos o olhar, quanto mais não seja, pela inusitada quebra dos ambientes formais que nos oferece. O elemento dissonante [...] introduz uma dimensão caricatural e política que suscita um olhar intérprete. E quem vê tem de refletir, ainda que a arte, como pretendia Freud, possa ser incompreensível e enigmática. Martinho Dias solicita-nos a que o esforço da razão ceda ao deleite do olhar.

E não é difícil. Pela tensão que os rostos transmitem, pela mancha vigorosa e marcadamente gestual, pela luz e pelo contraste das cores e pela ironia, claro, às vezes caricatural e satírica.

 

Ficar indiferente à pintura de Martinho Dias é permanecer em desassossego e ambiguidade. E nós, homens, usando o bisturi da razão explicativa, tendemos para o que é confortável e certo. A questão é se lá chegamos."

António Tavares (Escritor)

Martinho Dias foi professor de Artes Visuais até 2009, ano em que passou a dedicar-se inteiramente à atividade artística. Ilustrou diversos livros de literatura infanto-juvenil tendo participado, em 2003, na Bienal de Ilustração de Bratislava. O seu trabalho integra diversas coleções e tem sido mostrado regularmente em Portugal e no estrangeiro, em exposições individuais e coletivas, bienais, simpósios e feiras de arte.

 

Em 1999, Martinho é um dos representantes de Portugal no concurso “The Winsor & Newton Worldwide Millennium Painting Competition”, com exposição em Londres, Estocolmo e Nova Iorque. Entre 2003 e 2005, realiza a obra fotográfica “Two Parts Invention”, em parceria com o artista e compositor alemão, Peter Ablinger, que viria a ser mostrada pela primeira vez em 2008, na exposição “arte x arte - Bogotá08”, Colômbia, a convite de Max Steven Grossman. Em 2005, Martinho Dias visita Nova Iorque e participa com os músicos Nuno Rebelo, Vítor Rua e Phill Niblock, entre outros, em “Imagens Projectadas # instalações sonoras”, Lisboa, numa organização do escritor e crítico musical Rui Paes.

Alguns dos projetos de Martinho Dias, nomeadamente “Pinturas Escritas” e “Pangea”, contaram com a participação de personalidades de áreas diversas, sobretudo da música, como o Maestro António Victorino D’Almeida, Eurico Carrapatoso ou a cantora Amélia Muge, o músico espanhol Kepa Junkera, o artista e performer italiano Alzek Misheff, para além de Peter Ablinger, Gianluigi Trovesi, Pauline Oliveros, Paulo Cunha e Silva, Bill T Jones, entre outros.

 

Em 2006, o artista faz a sua primeira exposição individual no Brasil-Salvador, na Galeria Cañizares. Em 2007 vence (exequo) o 1º Prémio “Corpo em Expressão”, pelo Espaço Servartes, Porto e participa na ArtMADRID, pela Galeria António Prates. Em 2011, participa na feira ART PARIS, Grand Palais, pela Saatchi Art.

 

Em 2012 recebe do Município da Trofa, a “Medalha de Mérito Cultural” e representa Portugal no “10º Simpósio Artístico Internacional”, em Saarbrücken, na Alemanha. Ainda no mesmo ano o seu trabalho esteve em destaque na rubrica semanal do curador Chenoa Solis, na Saatchi Art Gallery, de Londres. Entre 2013 e 2017, participa como convidado na bienal internacional “Isola dei Colori”, Sardenha – Itália. Em 2014, a sua primeira obra em vídeo, PANGEA, (50’) estreia-se na bienal SCHOK’2014, na Holanda, a convite do seu diretor, Jaap Borgers. Um ano mais tarde é convidado pela Artkate Galerie, Berlim, a participar na exposição ATTITUDES.

 

A propósito da exposição individual “Martinho Dias: 005-015”, no Museu Municipal de Espinho, 2015, Martinho é convidado pelo escritor Valter Hugo Mãe para o seu programa na Porto Canal. Ainda em 2015, é convidado para a rubrica “Inside the Studio”, da Saatchi Art, Londres. No mesmo ano, a Galeria MAC - Movimento Arte Contemporânea, Lisboa, atribui-lhe os prémios “MAC'2015 Hilário Teixeira Lopes”, e em 2018, o “Prémio MAC' 2018 Prestígio”. Em 2020, mostra a exposição “Penas”, no Centro Cultural e Congressos de Caldas da Rainha.

No mesmo ano, Martinho Dias é convidado por Stella Jurgen para o seu programa televisivo “Stella’s Studio”, na Camões TV, em Toronto. É ainda convidado a intervir na bienal SCHOK’2020, na Holanda e a integrar a residência artística “Maison de l’Artiste” – Piazza Armerina, Itália. Ambas as atividades acabariam por ser canceladas devido à pandemia COVID-19.

 

Em 2021, para além de obras e entrevista publicadas na OBSESSED with ART, EUA, participa no projeto coletivo “# 365 days after”, organizado pela associação artística ucraniana MOKONSHU, Kiev. A convite da Organização Internacional Virtual Educa, realiza uma obra e posterior edição serigráfica, no âmbito do maior congresso internacional sobre Educação: Congresso Global – Virtual Educa 2021.

No final desse ano, grava conversa com Rui Reininho, do grupo Pop-rock GNR, para uma série de programas sobre artistas portugueses, “Ofício da Solitude”, do realizador e produtor, Fernando Rocha.